Bela cidade das Gerais!

Bela cidade das Gerais!
Imagem feita por Sotnas Odlabu em São João Del Rei MG em nov de 2016

E AQUI, OS QUE POR CÁ VIERAM UMA, E CONTINUAM VOLTANDO OUTRAS VEZES!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O QUE MUDOU... Não sei, mas, está diferente!

Imagem feita em Santo Antonio do Pinhal - SP
em 06/08/2011 no Parque Jardins Temáticos.
Por Sotnas Odlabu.

Olá amigos, virtuais ou não.
Fiquei deveras tocado e agradecido pelas palavras deixadas
 nos comentários por cá, palavras estas que sempre que leio
me fazem emocionado. Pois elas me fazem sentir o desejo de cada um 
em fazer com que eu me sinta melhor.
Obrigado mesmo, do meu mais profundo sentimento, agradeço a todos,
e no mesmo momento me desculpo por todos estes dias ausente,
mas, estava deveras difícil me concentrar em algo pensando nos 
problemas que necessitavam ser esclarecido, o que espero tenha feito,
para um melhor viver dos envolvidos, que neste caso, até vocês meus amigos 
foram penalizados, grato a vocês! 

Observando esta imagem, fico pensando nos seres que
ainda não se conscientizaram.
Se a natureza jamais se cansa de fazer a sua parte,
por que maneira eu deveria me negar de fazer a minha,
se viver é este eterno dar e receber! 


Não sei se por tantas decepções,
Ou pelos acontecimentos que se impõem,
Mas, se faz mais forte em mim,
 Este sentimento de desengano,
Esta falta de confiança no ser humano,

Sem, no entanto,
 Deixar de gostar de estar aqui,
Isso me deixa deveras preocupado,
Também me faz se sentir culpado,
Não por tudo de feliz que já vivi,
E sim por não conseguir,
Ao menos mudar um pouco,
Tudo que vejo de errado,

É fato que me sinto cansado,
Em presenciar tantos fúteis,
E suas tantas futilidades,
Em um país tão rico,
Onde tantos sequer têm,
Onde morar, ou alguém
Que os façam, sentirem-se,
Ao menos amados!
Sotnas Odlabu

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Meus prezados amigos

Apesar de o momento um tanto conturbado, tenho consciência
que a vida acontece ao meu redor, e tenho a certeza disso sempre que observo imagens
iguais a esta acima. E assim tenho logo a certeza do que dizem.
A VIDA NÃO É PRECISA, PORÉM É PRECISO VIVER!  
Imagem feita em campos do Jordão no Parque do Horto Municipal
em 05/08/2011, por Sotnas Odlabu!


Ainda sinto doer esta tristeza,
Em estar vivendo tal situação,
Onde me falta ter a certeza,
De como reagir à tamanha ingratidão,
E ao escrever estas poucas linhas,
Expresse-me assim tão lamuriento,
Maculada a confiança que ainda tinha,
No homem, eu me arrisco tornar triste e cinzento,
O seu dia lindo com meu sofrimento,
É deveras meu lamento,
Por expressar em meus escritos,
Meus sentimentos, mas,
É como me sinto no momento!
Sotnas Odlabu




quarta-feira, 7 de setembro de 2011

BRASIL

Imagem feita em Monte Verde, em junho de 2010.
Esta capela fica nas dependências de um hotel naquela cidade
por Sotnas Odlabu 



                      Abençoada pátria mãe gentil, é o Brasil!
                   Índios, negros, brancos, e céu azul anil,
De douradas riquezas, que há muito "partiu,"
    Deixando a ver navios todo um povo varonil!

Abençoada pátria, de extensas terras sem gente,
E povoada em alguns poucos pontos somente,
Por conta de um povo logrado, de modo indecente,
Que sofre e sorri, ora é infeliz,
Ora é feliz, mas, “sempre contente”!

Abençoada pátria, de extensas florestas intocadas,
Vive sofrendo abusos, pois é livremente desmatada,
Indivíduos estranhos a estas reservas abençoadas,
Com toda ganância, contaminam
Outros em sua sinistra empreitada!

Abençoada pátria de povo humilde,
Que prefere o estranho, ao de sua origem,
Basta o perverso fingir-se amigável, e ele tudo exibe,
E assim nossas reservas naturais se vão, "se exaurem"!

Abençoada pátria mãe, que, por ser tão rica,
A cada instante, cada vez mais pobre fica,
Pobre de bons valores morais,
Que há muito não se pratica,
Pobre por dever tantos favores,
A tantos que nada a ti dignifica!

Abençoada pátria, tuas florestas surdamente bradam,
Pois o cantar dos pássaros, pouco a pouco "eles" calam,
Animais diversos existiam, e hoje caçados já não caçam,
Por existirem somente fixos, são troféus e paredes enfeitam!

Abençoada pátria, não pode d’esta maneira viver,
Com esta cultura de valorizar após perder,
Mudar conceitos se faz urgente, sem ser indiferente,
Pois viver é sentir a vida, como ela nos sente!
Livre, selvagem, dócil, culta, inocente!

Abençoada pátria, da cor verde e amarela,
Sentirá algum dia essa sua gente, orgulho,
Por ter pátria mãe tão bela!
Ou serão sempre, obscuros traidores, covardes,
Negando eternamente que, são sementes dela!

Sotnas Odlabu