Bela cidade das Gerais!

Bela cidade das Gerais!
Imagem feita por Sotnas Odlabu em São João Del Rei MG em nov de 2016

E AQUI, OS QUE POR CÁ VIERAM UMA, E CONTINUAM VOLTANDO OUTRAS VEZES!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Respostas das DEZ MAIS!




Olá prezados amigos, fui convidado a responder com imagens a dez perguntas, e ai estão algumas coisas que gosto, mas, gosto de tantas, ou quase tudo, sendo assim aqui vai dez dentre tantas! 

Quero agradecer a esta incrível escritora e minha amiga virtual que admiro deveras por todo empenho dela em divulgar nossa cultura, Carla Ceres do blog Algo Além dos Livros.


 1- Gosto desta cidade em que moro há muito! Santos


2-De olhar o céu e ver este azul intenso, ainda que haja alguns chumaços de algodão tão branquinhos, ou, acinzentados, mas, se ficam escuros começo a me preocupar!

3-Construções antigas me encantam pelos detalhes artísticos.


4-Apesar de não ter tido oportunidade ultimamente na proporção que gostaria, gosto de me sentar em um lugar assim e ficar observando a vida acontecer em volta, é deveras agradável.



5-De flores. Estive em um lugar chamado roselândia e me impressionou a quantidade dos vários exemplares de rosas.




6- Fotografia, e gosto muito de fazer detalhes!   




7-Gosto de estar em Campos do Jordão no Inverno!




8-Do meu trabalho, é a minha profissão, operar com estes equipamentos me proporciona nas horas vagas me divertir fazendo outras atividades que também gosto muito.




9-De escrever e ler.


10- Pois é meus caros amigos, resumindo o que eu e todos nós gostamos mesmo é de estarmos vivo, viver é deveras maravilhoso, pois podemos aproveitar lugares como o desta imagem e tudo que nesta lista está enumerado! 
imagens por SOTNAS ODLABU



E cá minha lista de DEZ amigos para que participem, caso aceitem, e caso não desejem aceitar, paciência, nem por isso nossa amizade vai deixar de existir, abraço a todos e espero que não tenha sido uma decepção total minhas respostas!  

Vivian do blog In Foco
J. R. Thomaz do blog Quase tudo
Sus do blog Just me
Lu do blog Alumiações
Teresa Cordioli do blog Asas ao tempo
Mara Bombo do blog Adiemus
CACAU do blog Mensagens de Luz
Graça Pereira do blog Zambeziana
Cecília do blog Pé de Pitanga
M@ria, do blog M@ria &M@ria 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Sobre o enganador, tempo!


Penso que o tempo está para o homem, como os pais
estão para as filhas nesta imagem. Sempre largos passos
à frente
imagem feita em São Lourenço, no Parque das Águas.
por Sotnas Odlabu, em 24/06/2011.



Era jovem...
Quando ele ainda passava por mim,
Sempre me preocupou como chegaria ao fim,
Observando pessoas mais experientes,
Percebia que já não eram tão lépidos assim,
E agora, observando os mais jovens,
Sempre me vem à mente a imagem de pai e filho,
Caminhando de mãos dadas, o pai,
Com sua experiência,
Segue a passos largos à frente,
Enquanto que o filho,
Em suas diminutas passadas,
Sempre tão aceleradas,
Tenta acompanhar, e somente o segue,
Assim é o tempo, como o pai,
Os humanos são como o filho,
Tentando sempre seguir junto, e
Iludido está aquele
Que pensar que consegue,
Muitos ainda têm a disparatada ilusão,
De ter todo o tempo, ou ganhar tempo,
Lamento, mas viver assim é,
Um equivocado tormento!
Sotnas Odlabu

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Dinheiro: Um poder falso, aos que deixam de ser verdadeiros.

Observando esta imagem vejo pequenas gotas de chuva.
Só que da mesma maneira que vejo muitas pessoas que pensam ser
mais especiais que o restante.
Na ânsia de demonstrar superioridade, nem se dão conta que nesta forma
separada das demais, cada qual vai evaporar, aí mesmo neste vidro, sem nada
além de molhar o vidro e deixar o mesmo sem transparência, e somente
por efêmeros minutos. Enquanto isso as outras que permaneceram unidas,
correram para a terra e por mais tempo vão correr sob a terra
alimentando  a vida, vivendo e se juntar ao mar!
Quem está sendo especial, ou importante!
Imagem feita em setembro de 2011 no porto de Santos,
por Sotnas Odlabu. 




        Não sabemos ao certo,
Quem é falso ou verdadeiro,
Não dizemos mais nada,
Ou tudo por inteiro, assim
Vivem os habitantes neste planeta,
Desse modo desordeiro,
E só por que resolveram inventar e,
     Valorizar demais, este tal dinheiro,
      Adquirimos tudo pela metade,
Mas paga-se o preço de um inteiro,
Tudo vale tanto quanto, e,
Nada vale mais que este encrenqueiro,
Vangloriam-se quem muito tem,
Dizem ter o poder, e muita sorte,
E tarde descobrem que aquele tudo,
É nada, diante da vida, e da morte,
      Sacrificam tantos, e não confiam,
Mesmo se olhando no espelho,
Não pode tudo o vil metal,
Nem sequer nos dar bons conselhos,
Não vale qualquer sacrifício,
Humano ou não, esse papel desordeiro,
Trabalho para viver, enfrentando
As dificuldades e os desesperos,
        E não me diga que vivo para trabalhar,
Pois há coisas muito mais importantes,
E que espero conquistar,
Maravilhoso é poder ser eu mesmo, verdadeiro,
Ser respeitado por ser somente, ser,
E não por ter tanto dinheiro.
      Tanto tem, mas, esta vida de mentiras,
É como estar em uma canoa furada,
Tarde verá que o seu “tudo” é,
Talvez até pior que nada,
Diga-me “todo-poderoso” o que vai sentir,

Que mesmo com todo o seu “poder”,

Quando ao redor olhar, e perceber,
Ninguém ao seu lado deseja estar,
      Amizade não se pode comprar,
É sério, pode acreditar
Nem todos nasceram para se submeter,
E deixar de ser verdadeiro,
Escravagistas se tornam aqueles,
Que do dinheiro são escravos,
Possuídos pelo possuidor, esse tal e desejado,
E vez em quando, amaldiçoado dinheiro!

Sotnas Odlabu


quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Sim... Sou feliz!

Imagem feita em São Lourenço no Parque das Águas,
no mês de outubro de 2008
por Sotnas Odlabu


Ao ser indagado se sou feliz,
Sem sequer pensar respondo que sim,
Não só por seguir meu próprio nariz,
Mas, por sempre buscar o que desejo até o fim,

Sempre sabendo que posso estar enganado,
Olhando sempre em frente, para o objetivo,
Sem, entretanto negar meu passado,
Pois lá sempre tive meu aprendizado,

Está aí algo que me dá um orgulho imenso,
Bem como vários motivos,
 Pra que me mantenha vivo,

Pois ainda que com excesso de bom senso,
Apesar das incertezas, sim, eu sou feliz,
Pois, vivo assim, deste modo, deveras intenso!
Sotnas Odlabu

POSTAGENS