Bela cidade das Gerais!

Bela cidade das Gerais!
Imagem feita por Sotnas Odlabu em São João Del Rei MG em nov de 2016

E AQUI, OS QUE POR CÁ VIERAM UMA, E CONTINUAM VOLTANDO OUTRAS VEZES!

sábado, 27 de julho de 2013

Apesar de difícil, eu tento sempre com o próximo me identificar, mas...

Imagem feita em Santos, setembro de 2012, por Sotnas Odlabu


( Pensamentos que me habitam a mente)


Por vezes penso que me perdi, não sei ao certo, mas, em alguma passagem durante este meu viver, uma parte do meu eu ficou pelo caminho, não me reconheço com a mesma facilidade de antes!
Talvez tenha eu cometido mais erros que acertos, pois, sempre me vejo culpado pelo que deixei de realizar. Apesar de sempre procurar obter êxitos, houve muitas vezes em que falhei, e nesta nossa sociedade um tanto quanto hipócrita e deveras egoísta, se você acertar cem vezes e logo após errar uma, sempre vão se lembrar da vez que errou, fica marcado até o final, e, bem talvez seja isto que está me cansando, pois sempre há alguém apontando, ou enganando outro, e, para ser sincero, eu já estou quase deixando de acreditar no semelhante. E isso me doí deveras!
Não é um pensamento que gosto de tê-lo a rondar minha mente, mas, com sinceridade, em certos momentos tenho pensado que eu bem que poderia ser igual ao restante, não dizer a verdade a todo instante, ou não ser tão transparente de maneira a que os safados possam ver que podem me enganar.
Mas, creio que felizmente não consigo agir desta maneira, e por isso me vejo sofrendo esta terrível angústia.
Gostaria de ter mais momentos para ficar observando outros tantos nascer de sol, e outras tantas noites chegar e partir, iluminadas ou não por tantas estrelas e pela luz refletida pela lua, ter mais momentos observando o voo malabarista e vívido das borboletas e insetos sobre as flores, ficar observando os pássaros e seus belos e melodiosos cantos, ter mais momentos para ser mais compreensivo com os semelhantes, ter momentos para que entendam o motivo de eu ser assim, valorizar outro tanto a mais esta dádiva recebida, e que jamais vou querer ver perdida, pois o que mais me importa é estar vivo, e o mais importante em minha mente é estar aqui, nesta e, com vida!

Viva a vida sempre, ainda que haja muitas atribuições a serem resolvidas!

                                   Sotnas Odlabu

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Não se consegue satisfatórios resultados com, paliativos!

Imagem feita em Caxambu-MG, em julho de 2012 no Parque das Aguas. Por Sotnas Odlabu.




Ainda que tantos sem qualquer propósito, e outros em causa própria, foi grande parte desta nação embarcou no embalo da multidão exigindo mudanças. Eu entendo como mudanças interromper o que está sendo feito e iniciar de outra maneira diferente do que está em curso!
Mas pelo visto não é isto que entende a dirigente maior deste país. Sim, pois, ela está sugerindo um maldito plebiscito para saber o que o povo deseja, penso que eles lá no poder não entendem a linguagem expressa nos cartazes dos protestos em vários estados da nação. Mas claro, é isso, eles somente entendem a linguagem do quanto você quer para fazer isto assim, ou quanto eu recebo para promover uma desordem para entreter os súditos por mais um tempo!
Esta nação está sendo corroída por câncer com inúmeras ramificações que conhecemos por políticos, tributos, falta de caráter etc... E a única cura no momento é uma reforma nestes dois primeiros males com urgentíssima urgência, mas a presidente quer despejar mais tempo e dinheiro no ralo perguntando ao povo o que deseja!
É o fim!  



Era uma nação colonizada,
Na verdade, era uma nação acomodada,
E que passiva observava,
Deveras acostumada,
Enquanto suas riquezas eram levadas,
Sim, era deveras mal acostumada,
Obediente ao rei, sem questionar nada,
Quando então um dia se viu libertada,
Virou um povo alegre festeiro,
E após quinhentos anos,
Não se entristece com nada,
Entretanto, como para sempre, tudo é nada,
A nação acordou e se disse cansada,
E com desejos de mudanças,
Protestou em passeatas,
E o novo rei pelo povo escolhido,
Que me parece “amordaçado”,
Não tem o mesmo desejo do povo,
E protelando segue enganando,
Sem nada mudar, segue os problemas,
Por todos, os seus lados se alternando!

 Sotnas Odlabu

POSTAGENS