Bela cidade das Gerais!

Bela cidade das Gerais!
Imagem feita por Sotnas Odlabu em São João Del Rei MG em nov de 2016

E AQUI, OS QUE POR CÁ VIERAM UMA, E CONTINUAM VOLTANDO OUTRAS VEZES!

domingo, 31 de agosto de 2014

É esta minha pretensão, de envelhecer, até não mais poder!

Nem tudo que conhecemos resiste a passagem do tempo, sendo assim, seria deveras ingratidão minha não ser feliz por cada dia que tenho a oportunidade de observar tudo que me cerca, pois cada tudo tem sua parte de beleza e felicidade!
Imagem feita em Campos do Jordão - SP em agosto de 2014, por Sotnas Odlabu!


 Ah, esta determinação,
 Que habita minha mente,
E me faz recusar se deixar dominar,
Tal como este corpo, sempre a me lembrar,
Pelo desleixo típico, quando jovem,
Que escondia dor, nas atitudes,
Tão efusivas de adolescente,
A inexperiente juventude,
Tem suas consequências, mas,
Ainda assim,
Não vai me ouvir reclamar,
Pois tenho vivido de modo intenso,
E, talvez o distanciar do tempo,
Esteja adicionando a este ancião, pretenso,
Esta condição de tão facilmente se emocionar,
Ah, condutor inclemente,
Segue demonstrando em todos os momentos,
Que não mais serei capaz de te acompanhar,
Assim mesmo, sigo em meu lento caminhar,
Sim, como a te dizer a todo instante,
Que apesar desta condição em mim deixada,
Esteja certo que não vai me ver sofrer,
E todas às vezes me espiar,
Não vai me ver pedir para esperar,
E assim não vai deste passageiro desdenhar,
Pois não vai me ver ficar parado,
Somente a observar,
Você por mim, pela segunda,
E a não desejada,
 E derradeira vez passar! 
Sotnas Odlabu

domingo, 3 de agosto de 2014

E nada mudou...

Imagem feita em Caxambu no parque das águas, em janeiro de 2014 por Sotnas Odlabu.


Não somos todos mas, grande parte de nós ainda segue fazendo tudo ao gosto do malvado e sujo sistema. Claro que não se sabe até quando vão crer nas fantasiadas conversas que lhes são "gentilmente" implantadas ouvido a dentro!


 

E assim tentamos seguir de estômago revirado,
Por ser a todo instante ludibriado,
 Não aprendendo nada com o passado,
Vivendo um presente despedaçado, e,
A caminhar por estes atalhos, e neste passo,
Para um futuro que jamais será presenciado.
Ah, como ficaria feliz em,
Estar por estes pensamentos, enganado!
                                 Sotnas Odlabu