Bela cidade das Gerais!

Bela cidade das Gerais!
Imagem feita por Sotnas Odlabu em São João Del Rei MG em nov de 2016

E AQUI, OS QUE POR CÁ VIERAM UMA, E CONTINUAM VOLTANDO OUTRAS VEZES!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Tsunami, naturalmente destrutiva!

imagem feita por Sotnas Odlabu em set de 2009 na praia de Santos

Fiz este poema duas semanas após o dramático

acontecimento, porém não considerei oportuno
postá-lo naquele momento, 
de já enorme dramaticidade, claro que se mesmo
 agora alguém o considere indelicado eu posso entender!
No entanto o estou postando agora para demonstrar
minha admiração a este povo daquele país por sua perseverança,
união e fé na vida apesar de tudo!
E também mostrar como algo que tanto visto da terra
para ele mar quanto dele para terra nos encanta e
no mesmo momento pode ser tão assustador,
aterrorizante até lembrando o
que o movimento da terra pode provocar nele, e
ele nas moradias de cidades, principalmente
 as costeira niveladas com ele o mar!



Nas profundezas do oceano a terra gemeu,

Imagens das pessoas no deixa ver nos semblantes,
O momento, que a terra firme, tremeu,
E toda a nação sofre momentos aterrorizantes,

E o horror ainda não havia acabado,
Era o fim, naquela tarde que chegava assim,
Saiam de suas casas, da cidade, foi o recado,
O horror que, para tantas vidas trouxe o fim,

Inexorável e gigante onda,
Dez metros de fúria destrutiva,
Que tão ligeira chegava,
Enfurecida natureza, que destrói e mata,
E não há lugar em que se esconda,
Foi entrando na cidade, e tudo arrastava,
Barcos na estrada, sem o mar pra navegar,
Os carros sob a água, pela estrada não rodava,
O plantio sob a água salgada, não vai vingar,
Sem muito poder fazer, quem
 Ficou por quem foi, chorava,

E a salvo, sem sua casa sem sua cidade,
Ainda tem que preocupar,
Tem as usinas, só que nuclear,
O que mais devemos imaginar,
 Quantas vidas mais, serão do sacrifício,
E não saber se vão retornar,
Ou recomeçar, onde morar!
Onde d’antes estrada, tornou-se precipício,
Oh Deus! O que a onda,
E o tremor não findou,
 A radiação tem chance de terminar!

Sotnas Odlabu




18 comentários:

  1. Querido amigo Sotnas,


    Uma comoção geral. As consequências deste desastre perduram, infelizmente. Belo e sentido poema!

    Obrigada pelo carinho querido amigo. Um maravilhoso fim de semana para você e familiares.


    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo,
    Postar o poema não é algo que se possa deixar esquecido, quando supresas outras nunca estão distante de ocorrer. Depois, por que esquecer, isto é lembrete de que temos que melhor cuidar de nossa natureza, afinal ela tbém sente.

    Muito bem descritivo o teu poema, do horror em cena, onde as ilusões perderam o colorido e sem tinta para repinta-la...

    É muito triste.

    Feliz fim de semana pra você...

    Abraços

    Livinha

    ResponderExcluir
  3. Bom dia

    Imagens que nos acompanharão.
    A força da natureza domina o homem, a sua ciência e conhecimentos.

    O tsunami passou, ceifou vidas e haveres mas os que ficaram mostraram ao mundo a sua força de vencer a sua boa formação e respeito por todos os vivos.
    Velhos ou novos se empenharam em reconstruir o seu país como um todo e as suas almas ainda mais livres.

    Foram eles os mais necessitados e foram eles os grandes heróis que deram ao mundo uma grande lição de calma, prudência e organização.

    ResponderExcluir
  4. Bom Dia,Querido amigo!
    Infelizmente ou felizmente a natureza tem uma força que subestimamos-a às vezes,mas os que ficaram serão exemplos de força e de fé!
    Parabéns pelo poema!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Caro Sotnas, um acontecimento que abalou o mundo, pela fúria com que a natureza agiu e pelas consequências drásticas! Seu poema retratou muito bem a situação.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Fico maravilhada como usa essa forma de escrever na forma de poema uma história tão drástica...aplausos...bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Sotnas! Não considero seu poema indelicado. Pelo contrário, ele demonstra compaixão e admiração pelas vítimas da catástrofe.
    Fiquei surpresa com a foto de Santos. A julgar pelo tamanho dos prédios, a cidade é maior do que eu pensava.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Amigo virtual Stonas
    Seja sempre bem vindo ao Espelho Sem Aço.
    Vou colocar seu link no meu blog.
    Volte sempre...
    sempre.
    Adorei seu blog.

    Abraços

    Maria Cecília é minha irmã. Pé de Pitanga.

    ResponderExcluir
  9. Sotnas, é sempre um momento ideal para um belo e sentido poema como este.
    Grande abraço,meu amigo e também agradeço pelas suas visitas.

    ResponderExcluir
  10. Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem,
    os amigos devem ser amigos para sempre,
    mesmo que não tenham nada em comum,
    somente compartilhar as mesmas recordações,
    pois boas lembranças são marcante,
    e o que é marcante nunca se esquece! Uma grande amizade
    mesmo com o passar do tempo é cultivada assim!
    Vinicius De Moraes
    Uma feliz semana aceite com carinho
    minha mensagem.
    Deus esteja sempre presente na
    vida de todos nós beijos no coração,Evanir.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Sotnas
    O facto de não ter publicado o poema quando o compôs revela um caráter bom, preocupado com possíveis melindres.
    Em minha opinião isso não
    ia acontecer, com certeza, pois trata-se dum poema muito bom, que retrata exactamente o que aconteceu, duma forma delicada e sensível.

    A foto é muito bonita.

    Boa semana. Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Ola prezado amigo
    Estou na final da ostra poesia, me desculpe por mais uma vez vir lhe pedir votinho para a minha poesia, Precisamos. Mas sem a sua ajuda eu não irei conseguir. Prometo que passando esta fase eu virei comentar apenas sobre o conteúdo de seu trabalho.
    Como votar você entra no link …http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com/
    No final paginas das poesias esta escrito
    VOTE CLICANDO NA PALAVRA COMENTÁRIOS Lindalva 1 comentários
    Por favor coloque coloque o nome da autora e da poesia, ( Precisamos ... Maria Alice Cerqueira e o nome do seu blog. para que Lindalva possa confirmar seu voto.
    Desde já lhe agradeço de coração.
    Tudo do melhor para você.
    Abraço fraterno.
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  13. Amigo Sotnas,

    A poesia tem a voz da alma e esta não se faz só de cultos ao amor mas também fala muito mais de dores que marcam a vida das pessoas.
    Essa tragédia não será esquecida, nunca...

    Te deixo um grande abraço e o desejo de um dia abençoado!

    Deus seja contigo

    ResponderExcluir
  14. Olá, meu querido Sotnas, na tragédia também existe poesia, um apoesia feita de angústia, de temor e solidariedade. Quie Deus nos proteja da fúria da Natureza.

    Obrigada pela visita e pelos comentários sempre super simpáticos.
    Saúde e paz para você e todos que o cercam
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  15. Muito lindo!

    Muito grata por todas as palavras em meu blog!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  16. Sotnas

    Ás vezes esquecemos o quanto a natureza é poderosa e o tanto que é a nossa fragilidade...
    como o baralho de cartas, tombamos a seus pés, quando ela determina!

    Lembramos, nestes momentos dramáticos, mas depressa retomamos a vida indiferentes ao sofrimento da terra.

    Um abraço e a minha gratidão pelas palavras e pelo carinho na leitura que sempre faz do que escrevo.

    ResponderExcluir
  17. Saudades das tuas escritas...
    deixo meu abraço para aquecer tuas noites de inverno...

    ResponderExcluir
  18. post intenso como o assunto querido Sotnas..
    me perdoe a ausência, mas o trabalho me toma por vezes..
    um beijo perfumado para um lindo final de semana.

    ResponderExcluir

POSTAGENS